Pages Menu
TwitterRssFacebook
Categories Menu

Posted on dez 1, 2010 in Literatura

NaNoWriMo – Romance em um mês!!!

NaNoWriMo – Romance em um mês!!!

É novembro e, na sua cabeça de dentista, engenheira, professor, artista e até escritor, pipocam ideias daquelas que “dariam um romance”. Você, que nunca escreveu nada além das redações de colégio, ou uma ou outra carta de amor, decidiu ver até onde vai essa ideia que segue rondando seu cérebro mesmo depois de uma longa noite de sono. Aí é que o bicho pega: e agora, como vou escrever um romance do zero?

Mesmo que a “agonia” não seja compartilhada, há muito mais pessoas no mundo que padecem da mesma missão autoimposta de parir um romance. Estas se juntaram no NaNoWriMo, sigla de National Novel Writing Month e que, na nossa língua pátria, é o Mês Nacional de Escrita de Romances. Acontecendo sempre no penúltimo mês do ano, o NaNo, como foi apelidado, reuniu cerca de 167 mil pessoas em 2009 com mais de 2,4 bilhões de palavras escritas. Destas, é verdade que apenas pouco mais de 32 mil entregaram seus textos finais, mas coloque os números em perspectiva…

Espantou-se com o total de palavras escritas? Isso porque todos aqueles que decidem parir seu romance devem atender a um pré-requisito em especial: mesmo sem vencedores oficiais, por não ser concurso, o NaNo considera campeões os que atingem o mínimo de 50 mil palavras escritas. Cinquenta mil palavras, você leu certo. Do zero. E, pode acreditar, são muitas as pessoas que conseguem.

No Brasil, de acordo com a delegada regional, Aline Martins, são 197 participantes, com mais de 50 só em São Paulo. Agora, considere que já são 500 delegados no mundo todo, atuando em mais de 90 países, e é fácil perceber que os números, mesmo fragmentados, refletem um universo de escritores esperando apenas a chegada de novembro para pôr a musculação cérebro-digital em prática. “É preciso se programar, foi o que fiz ano passado”, entrega o professor de Ciências da Computação Fernando Aires. Ele dividiu as 50 mil palavras que o desafio pede pelos dias de novembro e definiu o resultado como meta mínima diária. “Essa programação ajuda, porque existe a vida, o cotidiano, tudo o ‘impedindo’ de produzir. Além dessa programação, é importante debater com quem mais está participando, ter o apoio de outros escritores”, conta.

Para Aline Martins, além da escrita do próprio romance, estão postas as incumbências de promover encontros entre os desafiados no início e no fim do mês, além de uma prosa no meio de novembro para comparar ritmos e produções. “Esses encontros são bem legais: sentamos em algum lugar e ficamos por horas passando trechos nossos para outras pessoas lerem e essas conversas favorecem a nossa criatividade.” Se você se interessou pela proposta e quer correr atrás do prejuízo, fique à vontade. “O NaNo recebe participantes durante todo o mês de novembro. Quem quiser entrar depois do dia 1º, será muito bem-vindo.”

Retirado do site da Revista Cultura, artigo de Pedro Jansen.